Cidades,  Prefeitura,  São Caetano do Sul

De onde vêm as crianças?

Prever a demanda de escolas para atender as crianças na vida escolar não é uma tarefa fácil.

A Comissão LAI (Lei de Acesso à Informação) da Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul encaminhou por email em 03 de junho de 2019 o documento Folha de Informação nº 5 relativo ao processo 10.458-19 (clique para obter o documento na íntegra), assinado pelo Prof. Fabrício Coutinho de Faria, Responsável pelo Expediente da Secretaria da Educação.

O documento reapresenta o quadro que já havia sido encaminhado anteriormente (veja este post). Vamos às diferenças.

Primeiro quadro recebido

Segundo quadro recebido

Em menos de 2 meses os números mudaram. É possível que novos fatores foram considerados, embora não há nenhuma indicação disso nos textos auxiliares.

O segundo documento forneceu mais informações e um quadro ampliado. Veja:

Não há indicação de quais dados são os reais e quais são simulados, mas ao que tudo indica, até o ano de 2019 são dados reais e foi feita uma estimativa para 2020 e 2021.

Uma boa informação é a segunda apresentada no quadro acima: “Não possuímos demanda reprimida no Ensino Fundamental”. Isso indica que todas as crianças que precisam estão sendo atendidas com as estruturas atuais.

Usando as informações recebidas neste último documento, foi feito um cálculo de variação por ano. Veja o resultado:

Variação percentual por ano (2016 a 2021)

Considerando o ano de 2016 como base, os anos seguintes tiveram variação de 2,07%, -0,08% e 2,57%, respectivamente. Já a projeção prevê um aumento de 4,17% e 2,83% para os anos seguintes.

E onde há variações? O quadro abaixo indica em verde as variações positivas, ano a ano, com base no ano anterior. Em vermelho, as variações negativas, também com relação ao ano anterior.

Há variações significativas de mais de 5% de um ano para outro. Todos estes casos (positivos ou negativos) estão grifados, tanto nos anos passados como nas previsões para 2019 e 2020. Alguns percentuais nas estimativas chamam a atenção:
– em 2020: 3ª, 5ª , 7ª, 8ª (10,43%) e 9ª (17,7%)
– em 2021: 1ª, 4ª, 6ª (-6,21%), 8ª e 9ª (10,40%)

A pergunta que fica é: de onde vêm as crianças?

O texto não indica nenhuma referência para estes aumentos/reduções fortes. Considerando que as crianças sempre nascem e vão seguindo ano a ano, não pode ser crescimento natural. Algumas possibilidades aventadas:
a) novas moradias, com novas famílias chegando à cidade
b) mudança de perfil das famílias, com idosos saindo da cidade e jovens chegando
c) migração da rede particular para a rede pública (item adicionado às 17:19)

A fim de buscar informações sobre este possível comportamento populacional (caso a), foi aberta agora uma solicitação através do e-SIC da Prefeitura com o seguinte teor:

Solicito informações sobre unidades residenciais da cidade, sendo:
número total atual
previsão de crescimento para os próximos anos (até onde já se possa prever de acordo com os pedidos de obras)
histórico de crescimento nos últimos 5 anos (2014 a 2018; informar ano e quantidade final de cada ano)
Por economia, praticidade e agilidade, solicito que as informações sejam encaminhadas através de meio eletrônico.
Obrigado.

Esta solicitação recebeu o protocolo 20190610142910.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *