Cidades,  Prefeitura,  São Caetano do Sul

Quanto R$ 2.190.468,66 virou?

O Observatório Social do Brasil – São Caetano do Sul faz um acompanhamento sistemático de licitações e contratações da Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul.

Os profissionais do OSB-SCS buscaram informações a respeito de um tomógrafo contratado de forma emergencial (Processo 5189/2020, veja imagem abaixo) como uma das ações de combate ao Covid-19 (veja esta reportagem do Repórter Diário de 19/04/2020). Você pode ir diretamente ao minuto 22:30. Na entrevista foi citado que a necessidade de um tomógrafo extra era para isolar os casos e não “misturar” com outros tipos de pacientes.

Processo de locação de tomógrafo

Este processo gerou o contrato nº 69/2020, como valor total de R$ 2.190.468,66 para um prazo de 6 meses.

Acontece que o OSB-SCS buscou informações técnicas sobre o tomógrafo disponibilizado e apurou que este equipamento não era compatível com o contratado. Não foi uma tarefa fácil e pode ser lida neste link. Uma maratona de providências. Além disso, o valor de um equipamento novo, com garantia de 1 ano, custa menos do que o valor deste contrato.

Logo que tal divulgação ocorreu, a Prefeitura de São Caetano do Sul promoveu a devolução do equipamento e a rescisão do contrato. Veja a postagem da Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul sobre devolução do tomógrafo móvel, sem citar qualquer informação sobre o questão da divergência entre o equipamento contratado e instalado.

Postagem da Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul sobre devolução do tomógrafo móvel

Nenhuma palavra sobre quanto foi pago sobre este contrato, qual foi a multa pela rescisão, qual foi a solução adotada para abrir mão deste equipamento. Se a opção pela locação era para ter um equipamento para pacientes suspeitos do Covid-19 dos demais, como ficam agora depois da devolução?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *